sábado, 3 de janeiro de 2009

A BESTA QUE SOBE DA TERRA - (Ap 13.11-18)

Visto que muitos tem dúvidas a respeito das Profecías, resolvi montar uma série de estudos sobre escatologia, a princípio do apocalipse, que todos possam ser edificados em nome de Jesus! No versículo treze diz: "E vi subir da terra uma outra besta, e tinha dois cifres semelhantes aos de cordeiro, mas falava como dragão". Essa besta trata-se "falso profeta" ele ajudará a preparar o mundo a adorar o anticristo e enganar a humanidade mediante a operação de grandes milagres (cf. Dt 13.1-3). Os dois cifres, alude uma imagem de cordeiro, como diz o texto, aparentando manso, amoroso e solícito para enganar as pessoas, mas seu caráter e diabólico (cf. Mt 7.3). O texto continua dizendo que ele exerce o poder da primeira besta (cf. 2Ts 2.9), ele preparará as pessoas a adorarem o anticristo, criará uma falsa religião que desde antes já estava preparada, sempre evoluindo, como hoje chamamos de ecumenismo, não se preocupando o povo se um culto estão participantes do diabo, de Deus, o que importa e a união das religiões. Começará uma terrível perseguição a todos aqueles que se negarem a adorar a primeira besta, como nunca houve na história da humanidade. Esse "falso profeta" fará grande sinais de prodígio e milagres nessa época, e o povo cairá nessa, ele tentará imitar os grandes profetas de Deus, aludindo o poder do Espírito Santo (cf. 2Ts 2.9-11), serão falsos milagres e prodígios, assim como acontece hoje no espiritismo, quando um demônio sai de um e entra no outro, tira a doença de um e de outro, ou seja, como se fosse uma acordo entre demônios. Aqueles que não creram em Deus, cairão na mentira do falso profeta, Deus enviará a operação do erro a essas pessoas e não conseguirão crêr mais em Jesus e fatalmente estarão condenados eternamente ao inferno. Esse falso profeta levará os homens a construir uma imagem do anticristo para adorá-lo, e essa imagem será colocada dentro do templo sagrado reconstruído (cf. Dn 9.27; Mt 24.15), esse espírito concedido a imagem para que fale não passa de um demônio, assim como hoje os demônios falam através de médiuns. Na antigüidade, alguns reis criavam estátuas, imagens para que o povo adorasse forçadamente (cf. Dn 3ss) os cristãos que não se prostrassem a imagem eram brutalmente e impiedosamente mortos. O texto continua com os que todas as classes de pessoas recebessem um sinal na mão direita ou na testa, pois bem, o anticristo impunhará um sinal a todos, como demonstração de seu poder. O homem sempre espera um sinal (cf. Gn 4.15; Ex 4.1ss; Jo.4.48; 1Co 1.22), em toda a bíblia o homem para crêr precisava de um sinal, e nosso Jesus faz isso (cf. Ez 9.4,6; Ap 7.3; 14.1) e o anticristo, esperando imitar a Cristo, dará esse sinal a eles tentando se passar pelo Messias (cf. 2Ts 2.4). Nesse que não tiver o número da besta, ou seu sinal ou seu nome, não poderá comprar nada, nem fazer comércio, nem ir a lugar algum, será uma espécie de passe livre para atuar, logo quem não for adepto dessa nova religião mundial, não aceitar o anticristo e adorá-lo, será terrivelmente atormentado como fome, sede, perseguições até a morte terrível, esse será o preço da Salvação, pois Deus nos diz que aqueles que tiveram a marca da besta sofrerão o juízo eterno. O número da besta é 666, há algo interessante aqui, o homem foi criado no sexto dia (Gn 1.26,27,31), e deve trabalhar também seis dias (Ex 20.9), semear a terra e seis anos (Lv 25.2). O escravo hebreu devia servir por seis anos (Dt 15.12). Há uma grande ligação, pois o número da besta é numero de homem, há algumas passagens como em (2Cr 9.13; 1Rs 10.14) mas sem nenhuma relação direta ao anticristo. A besta tem várias denominações como – Homem violento (Is 16.4) – Homem do pecado (2Ts 2.3) – O príncipe que há de vir (Dn 9.26) – O rei do norte (Dn 11.40) – O angustiador (Is 51.13) – Filho da perdição (Ts 2.3) – O iniquo (2Ts 2.8) – O mentiroso (1Jo 2.18,22) – O enganador (2Jo 1.7) – O anticristo (1Jo 2.18,22 e 4.3) – A besta (Ap 13.1). Ele terá também um próprio nome (cf Jo 5.43). Observemos uma coisa: o primeiro rei que fundou Roma foi Rômulo em 754 a.C. O Império Romano durou 1209 anos (754 a.C / 455 d.C), seu último Imperador foi Rômulo Augusto, quando teve fim o Império Romano, hoje a Roma existe, mas não o Império. Se o anticristo se chamar Rômulo (cf. Ec 3.15), em português tem 6 letras, e pode ser calculado "porque é o número de um homem" (Ap 13.18). Vejamos, o primeiro Rômulo na fundação do Império (6 letras), o segundo Rômulo do fim (6 letras). E o terceiro e último Rômulo? Do império que será restaurado? (6 letras) cada nome 6 letras = 666, isso é muito interessante, apesar de não podermos concerteza ter uma versão concreta, pois temos muitas outras linhas de raciocínio pela luz da Palavra, mas é algo interessante.

4 comentários:

vilma-wwwsoparamigos disse...

Excelente o seu trabalho.Acho que talvez voc~e pudesse estar postando inicialmente coisas menos complexas como esses do livro do Apocalipse´falo por experiência própria,as pessoas as vezes se assustam um pouco.Mas é muito bom para aqueles que já conhecem bem a Palavra de Deus.Fica na paz.

Alerta Vermelho disse...

Parabéns pelo trabalho! Este livro tem que ser melhor propagado, estamos vivendo os dias destas profecias e os cristãos estão alienados do assunto. Este livro prepara o momento da volta de Cristo, e se não tivesse relevância para a igreja, com certeza o Senhor não teria sido tão detalhista na revelação. Tenho um trabalho semelhante a este, desejando conhecer acesse: http://setimoshofar.blogspot.com . Forte abraço e paz seja contigo.

Dj loKo.O disse...

nadaaaaa a veeer... para o povo que nao sabe interpretar profecias a primeira besta é o anti cristo, a segunda besta é o anticristo, o falso profeta é o anticristo.. ai chega um momento em que os tres estao retratados juntos no apocalipse e vcs dizem que são 3 antes cristo ao mesmo tempo.. o fato narrado ai realmente vai ocorrer mas a aplicação dos simbolos é pessima..

Luciano Saldanha disse...

Obrigado pelo comentário, gosto de postar coisas mais simples sim, mas gosto muito da escatologia

Postar um comentário